Enunciado OA12 UT8b 2009/2010 “Auto Representação – O Corpo, o espaço e a encenação da imagem fotográfica”

Introdução

Fazer fotografia pode não significar forçosamente a captura de uma realidade exterior cujas contingências escapam, em maior ou menor grau, ao fotógrafo. Este último pode manipular o conteúdo da fotografia estando dentro dela como protagonista, controlando o seu conteúdo imagético e narrativo. Este duplo papel – de fotógrafo e fotografado – é desempenhado por alguns artistas com o objectivo de exercer maior controle sobre a sua obra fotográfica e, ao mesmo tempo, contrariar a ideia do fotógrafo reduzido a um mero “caçador de imagens” oportunista.

Artistas como Helena Almeida, Jorge Molder, Brígida Mendes, Nienke Klunder e Francesca Woodman estão incluídos nesse grupo e serão referencias incontornáveis para este trabalho.

Poderás encontrar mais informações sobre o trabalho destes artistas no blogue: https://sala17.wordpress.com/

Definição e Objectivos

Realiza uma série com um mínimo de cinco registos fotográficos onde tu próprio(a) sejas o(a) protagonista da acção e/ou narrativa expressa nos mesmos. O tema pode ser diferente para cada um dos registos ou todos eles poderão gravitar à volta do mesmo tema. Não é necessário que o modelo – tu próprio(a) – seja reconhecível.

Tem em atenção que todos os registos devem ter uma linha gráfica comum que passa pela adopção de um formato, de um ponto de vista ou de uma composição que sejam similares.

É também importante que a tua série conte uma determinada “história”, o que não quer dizer que os registos sejam criados forçosamente como “fotogramas” sequenciais de um filme.

Deves conceber um “contexto cenográfico” para os teus registos, definindo cuidadosamente a localização e a atmosfera física e emocional que servirão de pano de fundo para o teu trabalho.

O trabalho poderá ser realizado a cores ou a preto e branco.

Atribui um nome à tua série.

Percurso e Metodologias

Fase 1: Pesquisa e Organização

Define as características da série que pretendes realizar, nomeadamente o tema ou temas a tratar, o papel que irás desempenhar como autor e modelo e também a localização e o cenário envolvente.

Organiza no teu caderno de ideias um guião fotográfico, clarificando com texto e imagem, o modo como tencionas proceder para concretizar os registos da tua série (cenário, localização, postura e expressão do protagonista, “história” narrada, etc.).

Fase 2: Trabalho final

Prepara previamente todos os elementos que vais necessitar nesta fase do trabalho. Poderás solicitar o apoio de um colega para as tarefas relativas ao disparo da máquina fotográfica, ao enquadramento e outras tarefas que entendas necessárias.

Todo o trabalho fotográfico deverá ser executado no espaço da escola, onde poderás inclusive tirar partido das grandes obras de remodelação que decorrem actualmente e que actuam como agente de grande transfiguração visual, susceptível de ser vantajosamente aproveitada em termos fotográficos.

Os ficheiros poderão receber tratamento digital para melhoria das características de qualidade de imagem.

Elabora um texto (folha A4, corpo 11) de introdução para o teu trabalho final encadernado. Nele deverás fundamentar as tuas escolhas e o teu percurso, em termos visuais. Atenção: Este texto não é um relatório critico!

Apresentação

Imprime as imagens em papel fotográfico, de preferência num laboratório comercial.

Utiliza o formato 30×20 ou 20×15 cm, consoante o número de registos realizados.

Apresenta as tuas imagens devidamente encadernadas em formato A4, precedidas do texto introdutório referido acima.

Os ficheiros deverão ser entregues em CD, no formato jpeg.