Francesca Woodman (1958-1981)

© Francesca Woodman

Francesca Woodman ficou famosa pelos seus trabalhos fotográficos a preto e branco, onde utilizou a sua própria imagem ou a de modelos femininos. Muitas das suas fotografias mostram jovens mulheres desfocadas (devido ao movimento e longos tempos de exposição), fundindo com os seus arredores, ou com os seus rostos velados. Suicidou-se aos 22 anos de idade.

Fonte: Wikipédia

© Francesca Woodman

© Francesca Woodman

© Francesca Woodman

Extraído do blogue “O Arrumário“:

“Francesca Woodman é uma das artistas cujo trabalho e curto percurso mais me impressionou, desde que dela tomei conhecimento.
Nasceu em Denver, Colorado, em 1958. Começou a fotografar com apenas 13 anos. Não sei explicar porque é que as fotografias que criou me tocam tanto, embora ache que é impossível ficar-se indiferente a elas.
Ela foi-se desfazendo perante os nossos olhos, diluindo-se no cenário, por vezes torturando-se. O objecto principal do seu trabalho era o próprio corpo, apresentado por vezes com uma visão tão comovente que parece impossível ter sido criada por alguém tão novo.
Esteve na Art School de Providence – Rhode Island. Em Janeiro de 1981 publica um livro que era claramente um pedido de ajuda: “Disordered Interior Geometries”. Uma semana depois, atira-se da janela do seu apartamento, mergulhando finalmente para a morte, pela qual sempre se sentira atraída. Tinha apenas 22 anos.
Numa das últimas cartas que escreveu a Sloan Rankin, um ex-colega de escola, dizia: “My life at this point is like very old coffee-cup sediment and I would rather die young leaving various accomplishments . . . instead of pell-mell erasing all of these delicate things . . . ”
(informações recolhidas de um texto de John Hershall)

© Francesca Woodman

© Francesca Woodman

© Francesca Woodman

American photographer Francesca Woodman has eighteen rare vintage black and white photographs in ARTIST ROOMS. They have a timeless unique quality. The artist began taking photographs at the age of thirteen and though she was only twenty two when she took her own life, she left behind a substantial body of work.

Francesca Woodman’s photographs explore issues of gender and self, looking at the representation of the body in relation to its surroundings. She puts herself in the frame most often, although these are not conventional self-portraits as she is either partially hidden, or concealed by slow exposures that blur her moving figure into a ghostly presence.

Found objects and suggestive props are carefully placed to create unsettling, surreal or claustrophobic scenarios. Her photographs are produced in thematic series’, relating to specific props, places or situations. In combining performance, play and self-exposure, Woodman’s photographs create extreme and often disturbing psychological states. Fonte: http://artblart.wordpress.com/2009/06/

Mais informação aqui