Fotografia – Componente Teórica (1): História da Fotografia

© Ben Cauchi. “O princípio e o fim“, 2009

Uma série de artigos – dos quais este será o primeiro – serão aqui dedicados à componente teórica da fotografia. Os conteúdos que aqui são apresentados, serviram para enquadrar a Unidade de Trabalho 8 de Oficina de Artes (OA12 UT8 2009/2010) e resultam da investigação levada a cabo pelos alunos do 12ºN de 2009/2010. Outras contribuições se seguirão para ampliar a informação em cada um dos temas que serão apresentados. Quem quiser contribuir, com textos e/ou imagens… é benvindo!

___

Séc. XVI – A fotografia deu os seus primeiros passos com a câmara escura: uma caixa fechada, em que num dos lados existe um pequeno orifício por onde a luz entra.  A luz entrava pelo orifício e formava uma imagem invertida da cena observada – esta imagem podia ser projectada num papel ou numa parede. Quanto menor o orifício, mais nítida a imagem.

Início do Sec. XIX – Com o desejo de fixar estas imagens no papel, cientistas descobriram que, com a utilização de certos produtos químicos, era possível fazê-lo. Mais tarde, Thomas Wedgewood fixou imagens em couro, utilizando nitrato de prata.

1826 - Joseph Nicéphore Niépce, mais conhecido pelo seu último nome, após diversas tentativas falhadas com químicos tais como cloreto de prata e ácido nítrico, conseguiu (ainda que não tivesse os seus tons todos) uma imagem do seu quintal, após ter exposto uma placa de metal com betume branco da Judeia em frente da sua câmara escura durante quase 8 horas. Este processo executado por Niépce foi denominado de Heliografia.

© Joseph Nicéphore Niépce. Vista da janela do seu estúdio em Gras, 1826. A primeira imagem fotográfica permanente

1839 – Louis Jacques Mande Daguerre aperfeiçoou a heliografia, descobrindo que o tempo de revelação das fotografias diminuía para minutos se usasse vapor de mercúrio e trissulfato de sódio para fixar as imagens.

1841 – Fox Talbot utiliza pela primeira vez a luz vermelha como luz de segurança no laboratório fotográfico. Após as suas pesquisas para tentar obter cópias por contacto de silhuetas de diversos objectos, apresentou os resultados à Royal Instituition a à Royal Society. Foi a partir das suas teorias e processos que surgiram os termos “fotografia”, “negativo” e “positivo”.

1850 - Frederick Scott Archer inventou o processo do colódio húmido (processo fotográfico de negativos em vidro), pois não estava contente com a qualidade que a imagem tinha até à data, danificada pela textura fibrosa dos papéis negativos. Porém, em todos os processos do colódio havia um “senão”, era necessário utilizar placas húmidas. Tentando contrariar esse processo, surgiu um processo “seco”, que substituiu o incómodo colódio, intitulada de “gelatina”.

1852 – Foi realizada a primeira exposição fotográfica, em Londres. Este foi um grande passo para a divulgação da fotografia.

1861-65 – James Maxwell consegue uma imagem a cores através da projecção de luz branca em três filtros de cores diferentes.

© James Clerk Maxwell, Laço colorido. 1861. Primeira fotografia colorida permanente.

1864 – Na Escola do Exército em Lisboa, é criada uma cadeira de fotografia.

1880 – Apareceram as primeiras reproduções de fotografias em jornais americanos, o que, daí em diante, se tornou um hábito.

Primeira reprodução fotográfica num jornal, c.1880

1888 – introduziu-se a câmara fotográfica tipo “caixão”, com filme em rolos substituíveis, criada por George Eastman, fundador da empresa Kodak. O slogan do anúncio dizia: “Você carrega no botão, nós fazemos o resto”.

Maquina fotográfica Kodak

1895 – Lançamento da máquina Pocket Kodak.

“Pocket” Kodak, máquina fotográfica de fole dobrável , para melhor transporte

1898 – Introdução da máquina fotográfica Cambier Bolton, que mostrava, pela primeira vez, uma variação nas velocidades de obturação, entre 1/20 e 1/1000 s.

1900 – Lançamento no mercado da câmara Brownie Kodak – a primeira câmara vendida em massa.

1906/8 – Deu-se o primeiro processo fotográfico colorido bem sucedido, intitulado Kinemacolor e conseguido por G. A. Smith e Charles Urban.

1914 – A Kodak lança o filme Kodachrome. Na Rússia, surgem as emblemáticas câmaras LOMO. Serão mais populares no final do século XX.

Filme colorido “Kodachrome”. Um dos maiores sucessos técnicos da Kodak, manteve-se em produção durante perto de oito décadas até ser finalmente “batido” pela fotografia digital.

1920 – Nos anos 20, a fotografia começa a ser introduzida na publicidade.

1924 – Lançamento da câmara Ermanox, a primeira câmara portátil com uma objectiva muito luminosa. Era muito utilizada por fotógrafos de imprensa, pois permitia-lhes fotografar sem flash nem tripé em interiores, conseguindo fotografias de boa qualidade.

1925 – Lançamento da câmara Leica 35 mm, que possuía uma capacidade de resolução muito superior às máquinas da época.

Leica 107, a primeira máquina fotográfica Leica, utilizando filme de 35mm

Máquina fotográfica Leica III, 1945

1939 – Criação do primeiro negativo a cores (Agfacolor).

1946 – Criação da película Ekrachrome a cores, revelável pelo fotógrafo.

1947 – Lançamento, nos EUA, da câmara Polaroid (por Edwin Land), que produzia fotografias instantâneas, em 60 segundos.

1957 – Russell Kirsh, um pioneiro informático, apresenta a primeira imagem digital. Consegui-o ligando uma câmara fotográfica a um computador. A imagem era a preto e branco e mostrava o seu filho.

1963 – A Kodak coloca no mercado a câmara Instamatic, assim como filmes a cores ainda mais rápidos que os comercializados anteriormente.

Máquina fotográfica Kodak Instamatic

1965 – São capturadas as primeiras imagens fotográficas sem filme, através de uma câmara de televisão, da superfície de Marte. Tinham 0,04 megapixeis e demoraram quatro dias a chegar à Terra. Estes foram os primeiros passos em direcção à fotografia digital.

1975 – A Kodak apresenta o primeiro protótipo de uma câmara digital. Pesava quatro quilos e capturava também imagens de 0,01 megapixéis, demorando para cada imagem, 23 segundos.

Primeiro protótipo de máquina fotográfica digital

1978 – Apresentação, nos EUA, do primeiro sistema “Minilab”, máquina / laboratório de revelação e impressão rápida de fotografias.

1987 – 1996 – Aplicação cada vez maior da imagem electrónica na ciência, indústria e comércio.

1996 – 2010 - O formato digital na fotografia e vídeo impõe-se nas sociedades industrializadas, com cada vez mais modelos de câmaras, com mais qualidade e mais funcionalidades (por exemplo incluindo também registo vídeo de alta definição – HD) e mais acessíveis em termos de custo, impondo-se à fotografia tradicional que subsistirá principalmente em “nichos”, como a fotografia artística, médio e  grande formato de estúdio.

A Fotografia digital mudou paradigmas, minimizou custos, reduziu etapas, acelerou processos. Facilitou a produção, a manipulação o armazenamento e a transmissão de imagens pelo mundo.

Trabalho realizado por: Inês Santos, Mariana Cárceres, Rebeca Lopes e Vânia Neto – 12ºN 2009/2010

Imagens e compilação: António Marques/ Sala 17

About these ads