Alexander Rodchenko (1891-1956): Da Fotografia ao Design Gráfico

© Rodchenko. Retrato de Lilya Brik . 1924

Quem diria que esta fotografia foi tirada há 88 anos?

Alexander Rodchenko é um dos expoentes máximos da vanguarda soviética dos anos 30. Nasceu em São Petersburgo, em 1891. A sua familia mudou-se para Kazán, no Oeste de Rússia, onde Alexander estudou Historia da Arte. Posteriormente foi para Moscovo, onde continuou o seu estudo de arte. É, nesta altura, em 1915, influenciado por Malevich, que começou a pintar, com uma tendência abstracta. Alexander Rodchenko é um dos artistas russos mais versáteis dos anos 20 e 30.

“Even today, almost one hundred years on, living in a society overflowing with images, Alexander Rodchenko’s photographs are still fresh, still have a sense of wonder and relevance. This comes from what they record — an epoch of revolution and defeat, of hope and despair.”…

“Mesmo hoje, passados quase 100 anos, vivendo numa sociedade transbordante de imagens, as fotografias de Alexander Rodchenko mantêm a sua frescura, vanguardismo e relevância. Esse facto prende-se com o conteúdo do seu registo – uma época simultaneamente de revolução e de derrota, de esperança e de desespero.”… (Roger Huddle; Revolution in photography)

Rodchenko com sua esposa e colaboradora, Stepanova. c.1920

Como muitos outros artistas dessa época de fervor artístico, experimentou diferentes técnicas de expressão artística, estudando a pintura, a fotomontagem e a fotografia em profundidade, com o fim de obter imagens inovadoras. Rodchenko representa uma figura muito importante no panorama das vanguardas artísticas e suas imagens tem contribuído para a difusão de Construtivismo Soviético. Faleceu em 1956. (Fonte: O Século Prodigioso)

“We were for the new world, the world of industry, technology and science. We were for the new man; we felt him and we had no precise idea of the future. We created a new concept of beauty and we have expanded the confines of art. We made posters, written slogans and decorated squares and buildings. Even the typefaces, so precise and persuasive, were invented by us. We made new objects whose utility no one questions any longer.”

“Nós éramos a favor de um mundo novo, o mundo da industria, tecnologia e ciência. Nós éramos a favor do “novo homem”. Sentíamo-lo mas não tínhamos uma ideia precisa do futuro. Criámos um novo conceito de beleza e expandimos os horizontes da arte. Fizemos cartazes, escrevemos slogans, e decorámos praças e edifícios. Até os tipos de letra, tão precisos e persuasivos, foram por nós inventados. Fizemos objectos cuja utilidade já ninguém questiona.” Rodchenko

Rodchenko, o fotógrafo

Foi nos anos 20 que Rodchenko iniciou seu trabalho mais consistente com a fotografia que, no entanto, interrompeu em 1942. Durante esse período, diversos temas foram abordados nas suas imagens, desde seus colegas artistas (incluindo inúmeros retratos utilizados em capas de livros, cartazes de exposições, etc.) até grandes eventos esportivos promovidos pelo Estado soviético nos anos 30. Mas apesar das temáticas variadas, o estilo de Rodchenko demonstra algumas constantes: ângulos inusitados, formas em evidência e a utilização de figuras do dia-a-dia para compor as fotografias. (Fonte: Old man photos)

© Rodchenko. “Coluna em marcha no estádio do Dynamo”, 1935

© Rodchenko. “Escadarias”, 1930

© Rodchenko. “Escada de incêndio”, 1925

© Rodchenko. “Rapariga com Leica”, 1934

“Much of his work explored the effects of converging lines and perspective, showing people, buildings and trees from unusual heights and angles. However, such experimentation was not deemed compatible with the developing concepts of ‘socialist realism’ and Rodchenko was criticized for ignoring the ideological content of his photographs [8]. Nonetheless, he was a pioneer and innovator in Soviet photography and did much to introduce and popularize the new concepts of 35 mm photography. Rodchenko’s work also appeared in Sovetskoe Foto and the large-format, illustrated monthly USSR in Construction as well as in other Russian magazines throughout the late 1920s and 1930s. He is one of the very few Soviet photographers to be represented in American print collections (Museum of Modern Art and Library of Congress).”…(Oscar Fricke)

“Grande parte do seu trabalho fotográfico explorava os efeitos das linhas de perspectiva convergentes, mostrando pessoas, edifícios e árvores de alturas e ângulos invulgares. Contudo, este experimentalismo não se revelou compatível com os conceitos emergentes do “realismo socialista” e Rodchenko foi criticado por ignorar o conteúdo ideológico nas suas fotografias. Não obstante, ele foi um pioneiro e inovador na fotografia soviética e muito contribuiu para introduzir e popularizar o novo conceito de fotografia em 35mm. O trabalho de Rodchenko também apareceu na revista Sovetskoe Foto e no almanaque mensal ilustrado de grande formato URSS em Construção, bem como em outros periódicos nos anos 20 e 30 do séc. XX. “…

Rodchenko, o designer gráfico

“Much of Rodchenko’s design work was devoted to promoting the revolutionary cause, including a kiosk in 1919 for the sale and distribution of newspapers and other political propaganda. He also designed a large number of posters promoting state enterprises between 1923 and 1925 in collaboration with the poet Vladimir Mayakovsky. Throughout the 1920s he was a prolific graphic designer, working on political, commercial, and film posters, as chief designer and contributor to the journal LEF (1923-5) and its successor Novy LEF (1927-8)—both edited by Mayakovsky—as well as packaging and book covers. His use of photomontage, striking typographic layouts, and flat, coloured geometric elements resulted in many memorable designs.”… (Modern Design Dictionary)

A maioria do trabalho de Rodchenko como designer gráfico, foi dedicado à promoção da causa revolucionária, incluindo um quiosque, em 1919, para a venda e distribuição de jornais e de outra propaganda política. Também concebeu um grande número de cartazes de promoção das iniciativas estatais russas entre 1923 e 1925, em colaboração com o poeta Vladimir Mayakovsky. Ao longo dos anos 20 do séc XX, foi um designer gráfico prolífico, trabalhando em cartazes políticos e comerciais, cartazes para filmes, exercendo as funções de director gráfico e colaborador das revistas LEF (1923-25) e a sua sucessora Novy LEF (1927-28), bem como embalagens e capas de livros. O seu uso da fotomontagem, de layouts tipográficos de grande impacto e de superfícies coloridas homogéneas resultaram em muitos trabalhos memoráveis.”…

© Rodchenko “O Couraçado Potemkine”. Cartazes para o filme de Eisenstein . 1926

© Rodchenko, Capa para o livro “Sobre Isso” de Vladimir Mayakovski, 1923

© Rodchenko “Livros”. Cartaz para o departamento estatal da imprensa de Leningrado (Utilizando a foto de Lilya Brik). 1924

© Rodchenko, Capa de revista, 1923

© Rodchenko. Cartaz sobre o direito das mulheres ao trabalho, c.1925

Amanda Athanasiou, estudante finalista de design, realizou este curto mas espectacular trailer sobre o trabalho gráfico de Rodchenko:

Influências

O vanguardismo de Rodchenko incute-nos uma percepção de modernidade, mesmo após oito décadas volvidas sobre os seus trabalhos mais emblemáticos. A demonstração dessa evidência é o facto de muitos designers gráficos actuais se basearem no seu trabalho. O conhecido designer norte-americano Shepard Fairey é um deles, como o demonstra a campanha concebida para a cadeia de lojas da Sacks.

© Shepard Fairey. Trabalho publicitário para a loja Sacks.

Outro caso de influência directa do construtivismo russo no design actual é o caso do grupo Franz Ferdinand cuja imagem gráfica é baseada (copiada?) essencialmente nos trabalhos de Rodchenko e dos construtivistas russos.

© Matthew Cooper. Capa do album “You could have it so much better” dos Franz Ferdinand