Enunciado OA12 UT10 2009/2010 – “Diário Gráfico – 6 Dias de Registos”

“Sendo o Diário Gráfico um instrumento de trabalho tão importante para artistas plásticos, assim como para pessoas das mais variadas áreas, que têm o hábito de desenhar com frequência num caderno portátil, será com certeza também de grande utilidade para os alunos, vocacionados ou não para a área das artes visuais, tornando-os mais atentos, mais observadores, com mais vontade de experimentar e com mais gosto pelo registo sistemático do seu quotidiano.”

Eduardo Salavisa

Olhar é seguramente diferente de “ver”.

Durante um dia normal olhamos para muitas coisas: espaços, objectos, pessoas e situações. Na maioria desses eventos quotidianos, utilizamos a visão apenas como mais um dos nossos cinco sentidos, permitindo-nos percepcionar o mundo exterior de uma forma superficial. Raramente nos detemos para questionar visualmente de forma meticulosa o mundo que se desenrola perante os nossos olhos. Por vezes, por exemplo quando viajamos para um lugar desconhecido, essa percepção torna-se mais aguda para voltar a esmorecer assim que regressamos à rotina diária.

Uma actividade de registo sistemático através do desenho pode ensinar-nos a apreciar devidamente uma realidade visual que tendemos a ignorar. O desenho permite-nos estabelecer uma relação mais sólida com a realidade, obrigando-nos a descriminar e a perceber o “como” e o “porquê” das formas e das cores. É toda uma forma de diálogo com o mundo que abre…

Definição e Objectivos

Pretende-se que realizes uma série de registos no teu diário gráfico/ caderno de ideias que sejam demonstrativos dos teus percursos enquanto “viajante”: poderá ser em tua casa, o caminho para a escola ou na escola – ou qualquer outro local que visites. Nesses registos deverás anotar de forma livre tudo o que achares interessante em termos visuais e que esteja directamente relacionado com o que observas nesse momento – espaços arquitectónicos, naturais e também espaços humanos.

Tem a preocupação de organizar os teus registos, mantendo o enquadramento e o sentido de leitura uniformes.

Utiliza lápis ou caneta de tinta para a definição dos contornos e tinta de desenho aplicada a pincel para colorir e tonalizar as superfícies – aguarela, ecoline, acrílico, guache ou outra tinta solúvel em água.

Tem ainda em atenção o enquadramento e composição dos elementos retratados nos teus registos.

Percurso e Metodologias

O interesse deste trabalho reside em muito no facto de constituir um acto de desenho sistemático e regular ao longo de um determinado tempo – é essa a lógica presente na existência de um diário gráfico. Como tal, um conjunto mínimo de seis registos será exigido nas datas abaixo especificadas na calendarização. Poderão – e deverão – ser realizados outros registos adicionais fora ou dentro destas datas. Assim, em cada uma daquelas datas, pelo menos um registo deverá ser completado. Entende-se por registo completo, um registo que ocupe uma página de formato A5 (ou maior) ou duas páginas contíguas de formato A6, com definição de contornos e de tons. A coloração dos registos poderá ser feita in loco ou de memória na sala de aula.

Anúncios